Perguntas e Respostas

Dúvida

Alavancagem Operacional e Financeira nas Empresas.

Alavancagem operacional e financeira têm uma elevada importância no processo de avaliação de uma empresa e na determinação de sua viabilidade econômica.


Em uma importante decisão financeira de investimento ou alteração na capacidade produtiva da empresa, busca-se a certeza do impacto positivo no resultado operacional e no lucro líquido do negócio.


A alavancagem operacional está diretamente ligada às atividades cíclicas operacionais da empresa. Separando claramente as despesas e os custos fixos e variáveis, podemos obter resultados operacionais mais elevados ampliando o processo produtivo quando existe um grau positivo de alavancagem entre o resultado e as vendas.


Na alavancagem financeira, avalia se o endividamento da empresa está influenciando no aumento do resultado líquido, isto é, na rentabilidade do negócio. Por meio de estudo, é possível separar o lucro operacional da empresa e mensurar o grau pelo qual o lucro líquido está sendo influenciado pelas decisões de financiamento.


Em resumo, as informações da alavancagem operacional e financeira medem o impacto total da estrutura de custo de uma empresa sobre suas decisões operacionais e financeira.

Dúvida

O que é Risco?

Risco é a incerteza daquilo que ocorrerá no futuro em função da variabilidade dos resultados potenciais.

Em um negócio, podemos relacionar os seguintes riscos: Preço, Crédito, Taxa de Juros, Taxa de Câmbio e Fluxo de Caixa.

    1. Risco de Preço - Incerteza sobre o preço futuro de um ativo.  Uma nova compra de estoque terá um menor ou maior preço comparado ao preço atual.

    2. Risco de Crédito - Receberemos todos os valores de nossa Conta a Receber.

    3. Risco da Taxa de Juros - Incerteza sobre as taxas de juros futuras e seu impacto no fluxo de caixa.

    4. Risco Cambial - Incerteza sobre o valor futuro de ativos ou passivos em moeda estrangeira.

     5. Risco de Fluxo de Caixa - Incerteza sobre o volume de dinheiro gerado ou consumido no futuro.

Portanto, existem vários riscos associados a um negócio e, de uma forma geral, as pessoas não gostar de assumir riscos.

Por consequência, as pessoas precisam ser incentivadas para que aceitem riscos. Seguindo esse raciocínio, vamos entender a variabilidade das Taxas de Retorno cobradas pelas instituições financeiras para nos emprestar dinheiro. No entanto, esse é assunto em uma nova postagem.

Dúvida

Estratégia de Vendas

Um ponto importante nas suas vendas, é estabelecer estrategicamente, um estudo comparativo entre as várias alternativas de vendas disponíveis em sua empresa.


Para saber efetivamente o custo financeiro de cada uma delas, expresse os valores recebidos em uma moeda constante, isto é, com o poder de compra de mesma data.


É fundamental esse conceito de ‘valor presente’ pois, a partir dele, você terá total controle do custo efetivo dos parcelamentos que sua empresa oferece aos clientes.


#analisys #financeiro #negócio #gestão #intelegente

Dúvida

Tenho dificuldades de entender o Balanço Contábil e a DRE da minha empresa.

O Prof. Luciano Guerra, mestre em Contabilidade Gerencial pela Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, desenvolveu um trabalho de tornar a Contabilidade Descomplicada, para o Gestor de Empresa poder tomar decisões estratégicas e, até mesmo, levantar questões com o seu contador.


Com a utilização de Software de BI (Business Intelligence), esses relatórios tediosos e complexos se transformarão em Visuais com Indicares de fácil entendimento.

Dúvida

Existe algum erro em retirar, quando preciso, dinheiro do caixa da minha empresa?

Dos erros que podem acontecer no Fluxo de Caixa da empresa, confundir as contas pessoais com as contas da empresa, talvez seja um dos erros mais comuns.


Você deve ter bem claro que a sua empresa não é um Banco para fazer saques no momento que precisar.


Tente estabelecer um valor fixo para o pró-labore e incluí-lo no planejamento mensal do fluxo de caixa, isso vai evitar que retiradas constantes possam causar perdas maiores

Dúvida

Duplicata Descontada - Dicas

Queremos, aqui, mencionar essa forma de capitalização em prazos mais curtos e renovados periodicamente, com a liquidação de títulos antes do seu vencimento. No entanto, a opção dessa modalidade de realização de capital de giro pode trazer certas dificuldades de caixa para a empresa, considerando o risco na impossibilidade de renovar o crédito a qualquer momento.

Esse assunto interessa ao empresário, comerciante, contador ou, até mesmo, advogado com o propósito de análise do custo de oportunidade associado a essa operação.

Iniciamos, definindo o termo ‘valor nominal’, referindo-nos ao valor de resgate, isto é, o valor do título no seu vencimento. A operação de descontar a duplicata pode ser definida como a antecipação de pagamento mediante o pagamento de uma recompensa, a qual pode ser mensurada pela diferença entre o valor nominal do título e o seu valor atualizado após apurado o período (n) antes de seu vencimento ao custo de juros (i), aqui denominado de capital (C).

Os descontos podem ser definidos tanto sob o regime de juros simples como juros compostos. Sendo o primeiro mais utilizado em operações de curto prazo, e o último, de longo prazo.

Considerando ainda o capital (C - valor descontado) e o valor nominal (N), o desconto simples e composto podem ser classificados como: desconto “por dentro”, tendo como base o capital, ou desconto “por fora”, tendo como base o valor nominal.

Nessa última classificação, o desconto “por fora” em quaisquer regimes de juros, proporciona maior volume de encargos financeiros efetivos nas operações. Nas operações de curto prazo, o desconto simples “por fora” é o mais utilizado sendo referenciado como desconto bancário ou comercial. No regime de juros compostos, o desconto composto “por dentro” (ou racional) é aquele estabelecido para uso bancário.

Fiquemos atentos a outros custos incluídos nessas operações referenciados pelos financiadores como despesas bancárias.

Dúvida

Qual a importância de contratar um Consultor Financeiro para minha
Empresa?

No dia a dia, o Gestor muitas vezes não tem a percepção completa da empresa. São muitos processos e problemas que fazem o Gestor fechar os olhos ou estar desapercebido para alguns equívocos e erros gerenciais.


Nesse momento, o Consultor Financeiro surge com grande valia para empresa, pois, com sua larga experiência empresarial e um trabalho sem envolvimento emocional, é capaz de analisar a empresa e identificar setores que não estejam indo bem.